Farmácia Calvário
Farmácia Calvário
Precisa de ajuda?
O nosso conselho

Registe a nossa newsletter

Para receber todas as novidades, lançamentos e campanhas
@

Lábios bonitos

 Lábios bonitos

 

Contorno dos lábios, zona sensível

Zona frágil, a boca "marca" muito o rosto: pequenas rugas e manchas de pigmentação vão-se instalando insidiosamente e, assim, denunciando a nossa idade. Porém, já é possível disfarçar estes sinais dos tempos, graças ao avanço da cosmética.

Uma boa ajuda é dada pelos cremes anti-envelhecimento específicos para o contorno dos lábios, os quais alisam as rugas e actuam em profundidade. Enriquecidos com agentes hidratantes, permitem também atenuar os traços de desidratação. De textura suave e invisível, permitem uma estética irrepreensível e há mesmo fórmulas que contribuem para fixar a maquilhagem.

Como usá-los então? Primeiro, massaje suavemente a zona do contorno dos lábios, para facilitar a acção do creme Depois, aplique-o com ligeiros toques sobre lábios limpos e secos. Comece pelo lábio e contorno superiores, aplicando o creme do centro para as comissuras; em seguida, faça o mesmo com o lábio inferior.

Pele oleosa: limpar sempre!

"" Pele oleosa: limpar sempre!

 

O excesso de secreção sebácea é uma característica da adolescência, um fenómeno natural que atinge boa parte da população nesta faixa etária.

Contudo, sem os devidos cuidados, estas secreções podem evoluir para uma infecção, vulgarmente conhecida por acne. Surgem então os pontos negros, as borbulhas, as pústulas. A pele brilha desagradavelmente, sobretudo na testa e junto ao nariz.

É possível, porém, evitar este cenário. E a palavra de ordem é limpar, limpar, limpar sempre. Limpar de manhã e à noite, usando produtos adequados ao tipo de pele:

De manhã, com um sabonete líquido que ajuda a remover a gordura natural acumulada durante a noite. Depois da limpeza - se usar um leite aplique-o sobre o rosto com a ajuda de um algodão - passe à protecção, aplicando uma loção hidratante sem óleo, de preferência que funcione também como um filtro protector dos raios solares.

À noite, a limpeza continua a ser a palavra-chave: aplique um leite de limpeza leve, removendo-o com a ajuda de uma compressa de algodão ou um lenço de papel. Uma loção tónica completa o cuidado básico com a pele do rosto e do pescoço.

É essencial que os produtos sejam adequados, de modo a não agravar o problema de oleosidade da pele. Quando os cuidados diários não parecem resultar, talvez o melhor seja consultar um dermatologista.

 

Como fazer para "trocar" de pele:

  • Aplicar o produto esfoliante sobre a pele húmida, em suaves movimentos circulares e ascendentes, de modo a penetrar totalmente; joelhos, cotovelos e calcanhares devem merecer uma atenção especial, pois são as regiões do corpo que mais constantemente estão em atrito; manchas, sinais ou varizes devem ser evitados, pois há o risco de se causar uma inflamação;
  • Use uma luva adequada para seu uso exclusivo e mantenha-a sempre limpa: é que as células mortas são excelentes portadoras de bactérias;
  • Depois de espalhado o esfoliante, remova-o com água abundante e seque o corpo com uma toalha de algodão ou papel absorvente, em toques leves;
  • No rosto, use um esfoliante menos abrasivo, indicado para peles mais sensíveis;
  • Não faça esfoliação após uma exposição ao sol ou depilação, nem quando a pele estiver desidratada;
  • Faça movimentos suaves, não vale a pena esfregar, pois só contribui para sensibilizar a pele;
  • O ideal seria duas esfoliações por mês, respeitando o ritmo natural de renovação celular.

Depois de uma esfoliação é só exibir a sua "nova" pele: suave, bem tratada.

 

 

Fonte: ANF

Gordura abdominal: meça-a!

 Gordura abdominal: meça-a!

 

Quando se fala em excesso de peso e obesidade, há um indicador que salta à vista – o peso, claro. Um segundo indicador começa a ser cada vez mais utilizado e muitos de nós já o conhecemos – o Índice de Massa Corporal (IMC), que constitui uma relação entre o peso e a altura.

Há ainda um terceiro indicador que é importante para perceber se se está em risco de excesso de peso ou não: trata-se do perímetro abdominal. Esta medida permite quantificar o volume de gordura abdominal. E porque é importante conhecer o volume de gordura abdominal? Actualmente é tão importante saber qual o grau de excesso de peso, como a forma como a gordura se distribui. Quando se concentra na região abdominal constitui um risco acrescido para o desenvolvimento de complicações associadas ao peso a mais ou à obesidade.

A distribuição da gordura no corpo pode ser classificada em dois tipos: o ginóide, em que a gordura se concentra sobretudo na região das ancas e das nádegas, dando ao corpo a forma de uma pêra, e o andróide, que se caracteriza pela acumulação de gordura na região abdominal, o que confere ao corpo a forma de uma maçã.

O primeiro tipo é mais frequente nas mulheres e o segundo nos homens, o que, à partida, poderá levar a assumir que homens e mulheres são diferentes no que toca à distribuição da gordura. E são. Mas cada vez mais as mulheres se deparam com o problema da concentração abdominal de gordura, o que torna esta questão comum aos dois géneros.

A gordura abdominal constitui um factor de risco da chamada síndrome metabólica: trata-se de um conjunto de doenças cardiovasculares e metabólicas, incluindo hipertensão, diabetes, excesso de colesterol e de triglicerídeos. Na prática, a gordura abdominal significa que há excesso de gordura dentro e em redor de órgãos internos, o que a torna mais perigosa para a saúde do que a gordura mais superficial.

É através do perímetro abdominal que se consegue fazer uma primeira avaliação da dimensão deste problema: o que se faz é medir a circunferência da cintura, que nos homens não deve exceder os 94 centímetros e nas mulheres os 80 centímetros.

O ideal é ficar abaixo destes valores, mas caso haja risco de acumulação de gordura abdominal é importante procurar aconselhamento de um especialista.

A investigação dos laboratórios farmacêuticos tem permitido identificar algumas substâncias que ajudam a combater o problema e, assim, diminuir o risco. Entre as substâncias que têm sido estudadas encontram-se os betaglucanos. Existentes nas paredes celulares de bactérias, fungos, leveduras, algas e alguns cereais, exercem acção anti-inflamatória, sendo ainda benéficos na normalização dos níveis de açúcar no sangue (glicemia) e dos níveis de colesterol e triglicerídeos.

Estão disponíveis em suplementos alimentares, em alguns deles combinados com extractos de plantas, como a alcachofra e o alcaçuz, contribuindo para regular o processo digestivo e melhorar a capacidade do organismo para eliminars resíduos indesejáveis.

Porém, como se trata de um produto de saúde, é importante que seja usado apenas com aconselhamento profissional, nomeadamente do seu farmacêutico.

Rosácea: pele corada

 

  Rosácea: pele corada

 

Corar com muita frequência pode ser um sinal de rosácea, uma doença da pele que não tem cura mas que é possível tratar.

 

Corar facilmente

Corar uma vez por outra é normal. Mas corar com muita frequência pode ser sinal de uma tendência para rosácea. Uma doença da pele mais comum nas mulheres, mas que também pode acontecer nos homens.

É no rosto que a rosácea se localiza: primeiro no centro (nariz), espalhando-se depois às maçãs do rosto, testa e queixo. Por vezes, também afecta os olhos: secos com sensação de areia ou queimadura e vermelhidão, são as principais queixas.

A rosácea evolui de forma progressiva, sendo possível identificar 3 fases:

1ª Fase ou Pré-rosácea (rougeur) – começa por ser uma tendência para corar mais vezes e mais facilmente e/ou por reagir a produtos que se aplicam no rosto, como os cosméticos, após o que se instala na face uma vermelhidão constante;

2ª Fase ou Rosácea vascular (couperose) – dilatação dos vasos sanguíneos, que se tornam mais visíveis e deixam a pele muito sensível, conferindo um aspecto avermelhado constante à pele do rosto;

3ª Fase ou Rosácea inflamatória – surgem pequenas borbulhas rosadas, algumas com pus, que se concentram sobre as zonas vermelhas; quando a inflamação é crónica, pode causar espessamento da pele do nariz, deformando-o: acontece sobretudo nos homens.

 

Sintomas sob controlo

Não se sabe o que causa a rosácea, mas é possível controlar os seus sintomas e que, se não for tratada, pode piorar. Os cuidados com a pele, uma vez iniciados, são para toda a vida, diminuindo o desconforto e prevenindo o agravamento da rosácea.

Em função da fase em que se encontra a rosácea, pode ser necessário usar medicamentos:

  • Para aplicação na pele – em pomada ou gel, para o alívio da vermelhidão e diminuição da inflamação;
  • Antibióticos – nas situações mais graves, pois actuam mais depressa.

 

Pele mais protegida

Controlar os sintomas da rosácea passa muito por manter a pele a salvo de tudo o que a agrava e por adoptar cuidados simples, que ajudam muito no dia-a-dia:

- Use produtos de higiene e hidratação da pele sem agentes irritantes como o álcool;

- Limpe a pele do rosto com pequenos toques, sem esfregar;

- Faça a barba com máquina em vez de lâmina;

- Aplique, depois do tratamento, o protector solar com índice igual ou superior a 15;

- Use cosméticos próprios para a rosácea e com cor verde que ajuda a mascarar a vermelhidão;

- Evite ambientes muito quentes ou muito frios; proteja o rosto com um lenço ou cachecol nos dias frios;

- Conheça e evite o que lhe provoca rubor: alimentos condimentados, bebidas muito quentes, café e álcool porque causam aumento da circulação do sangue na superfície da pele;

- Pratique actividade física com moderação;

- Minimize o stresse fazendo exercícios de respiração para controlar a ansiedade.

 

Automedicação: Não!

Alguns sinais de rosácea podem confundir-se com acne: mas de facto não são a mesma doença de pele. Não escolha produtos sem aconselhamento adequado pois alguns podem agravar a rosácea.

Os cuidados da pele são uma das áreas da intervenção farmacêutica. Nesta farmácia encontra informação e aconselhamento sobre a rosácea: as suas principais manifestações, formas de tratamento e cuidados para manter os sintomas sob controlo e evitar que se agravem. A saúde da sua pele passa por aqui: aconselhe-se!

Maquilhagem: sabe?

 Maquilhagem: sabe?

 

Pode perguntar-se o que tem a maquilhagem a ver com a saúde e a resposta "muito". É que uma pele sobrecarregada com cremes, pós, sombras e lápis é uma pele potencialmente em risco: alergias, desidratação, irritabilidade podem ser algumas das consequências de uma maquilhagem mal aplicada e mal retirada.
Daí que se justifiquem algumas dicas para aliar a beleza do rosto à saúde:

Cuidar a pele...

O primeiro de todos os gestos é preparar a pele para receber os produtos que a vão embelezar – limpando-a, tonificando-a, hidratando-a. Assim se consegue, além de uma pele saudável, uma pele receptiva à maquilhagem, que dá garantias de boa aderência e duração.

A base

Prefira uma cor o mais aproximada possível da cor da pele, de modo a conseguir uma aparência natural. No Verão, a pele já está bronzeada, pelo que o tom da base deve ser diferente daquele que se usa no Inverno.

Pele Oleosa

Recorra a um pó solto ou compacto para aplicar depois da base. Mas seja parcimoniosa na dose, espalhando-o bem para não ficar com ar de dama antiga, completamente empoada. Além de que o excesso acaba por secar a pele e fazê-la parecer envelhecida. Se houver esse risco, ao longo do dia vá vaporizando o rosto com um pouco de água termal.

À noite...

Nunca se deite sem retirar a maquilhagem. O cansaço às vezes alimenta esta tentação, mas uma pele que "dorme" maquilhada é uma pele que não respira e não descansa. Há, pois, que limpá-la muito bem, eliminando todos os vestígios da maquilhagem, sem esquecer as pestanas. Um creme de noite é o cuidado indispensável para que no dia seguinte o seu rosto esteja pronto a receber novamente os seus gestos de beleza.

Fonte: ANF

A frescura do tónico

 A frescura do tónico

 

Tradicionalmente, a loção tónica é aplicada depois do leite desmaquilhante, como complemento. Porque o leite deixa impurezas na pele e, a termo, os poros ficam asfixiados.

Mas o tónico respeita a fisiologia da pele, limpando-a sem a agredir. O ideal é aplicá-lo à noite, após o leite, para uma desmaquilhagem perfeita. Mas também pode ser usado de manhã, como preparação para aplicar o creme de dia, qualquer que seja o tipo de pele.

Se a pele é seca, os agentes hidratantes da loção torná-la-ão mais suave e optimizarão a acção do creme. Se a pele é mista ou oleosa, tem-se a garantia de eliminar o máximo de gordura, o creme penetrará melhor e o rosto perderá algum do brilho que atraiçoa as texturas oleosas. Há ainda mulheres que aplicam o tónico ao longo do dia, usando um lenço de papel em suaves toques, para evitar a evaporação do produto e impedir assim que a pele seque.

O tónico é preferido pelas mulheres que têm a pele mista ou oleosa, pois proporciona uma sensação de frescura e limpeza. Com um pouco de álcool, a loção ajuda a fechar os poros mais dilatados. Mas se a pele for muito sensível, é melhor vaporizar o rosto com água termal antes de aplicar o tónico: assim protege a pele sem perder os benefícios do tónico.

 

Solares para o Inverno

Com o Inverno, chegam os desportos na neve, a que os portugueses já se renderam. Uns ficam-se por um passeio à Serra da Estrela, outros sobem a picos mais altos na Europa ou noutras partes do mundo.

Mas todos devem ter cuidado com o sol de Inverno. Não aquece, mas deixa as suas marcas, especialmente no rosto e nas mãos. Em altitude, o sol brilha com intensidade, os raios ultravioleta aumentam quatro por cento a cada 300 metros. E reflectem-se na neve, bronzeando ou queimando, dependendo de quão precavidos somos. Por isso, antes de se aventurar montanha acima, proteja bem o rosto e as mãos.

Existem fórmulas concebidas especialmente para o sol de Inverno, que protegem a pele como uma manta de lã aconchega o corpo: é que, ao mesmo tempo que defendem as partes do corpo mais expostas ao sol, têm um papel hidratante, alimentando-as. Espalhe o creme por todo o rosto, generosamente - sem esquecer a fronte, o nariz e as orelhas.

E se vai esquiar leve-o consigo e aplique-o ao longo do dia. Os lábios também merecem protecção especial, existindo batôns específicos. No fim do dia, há que reforçar a protecção, desta vez com as loções e cremes para depois do sol. Acalmam a pele e deixam-no pronto para, no dia seguinte, enfrentar novamente os raios invernosos.

 

Cabelos: proteger a cor

Pintar os cabelos, para disfarçar os brancos ou tão só para mudar de visual, é um hábito cada vez mais frequente, não só entre as mulheres. Fazem-se madeixas, reflexos ou dá-se uma nova cor por inteiro, mas não basta pintar, é preciso proteger os cabelos. Até porque se não o fizermos a cor desaparece mais rapidamente e os fios ficam fragilizados.

O remédio é uma máscara nutritiva, a aplicar com regularidade, para devolver o brilho ao cabelo e a intensidade à cor. Vejamos como:

  • Uma noz de creme basta: faça-a penetrar nos cabelos, mecha por mecha, em todo o seu comprimento;
  • Deixe repousar dois a cinco minutos e depois enxagúe generosamente. Se os seus cabelos estiverem muito fragilizados deixe a máscara actuar um pouco mais, se necessário cobrindo-os com película transparente, que conserva a humidade e facilita a penetração do produto;
  • Se os seus cabelos são finos não deixe a máscara actuar demasiado: uma pequena noz de creme bem repartida e um minuto chegam para os alimentar.

 

Duche, modo de emprego

É certo que um banho de imersão é relaxante, que à noite ajuda a dormir melhor. Mas o duche não tem rival quando se trata de revigorar o corpo. Enquanto deixa a água escorrer, aproveite para hidratar e esfoliar a pele e vai ver que até a alma sai lavada.

Se a sua pele é sensível, prefira apenas produtos sem sabão, pois são melhor tolerados, uma vez que têm um pH idêntico ao da pele. Em creme, gel ou emulsão, lavam tão bem como os que têm sabão, apenas não produzem tanta espuma.

Se prefere um banho cheio de espuma, então deve usar um produto à base de sabão. Enriquecidos em óleos naturais, multiplicam-se em espuma ao mínimo contacto com a água, envolvendo o corpo numa mousse suave e perfumada.

Para as peles secas, o mais indicado são os produtos 2 em 1, que lavam ao mesmo tempo que hidratam, reconstituindo a camada hidrolípida que protege a nossa pele. Têm apenas a desvantagem de permanecer pouco tempo em contacto com a pele: aplica-se, lava-se e enxagua-se. Mas são o ideal para quem está com pressa. C

om alguns produtos é possível lavar e esfoliar o corpo ao mesmo tempo. Com a vantagem de poderem ser utilizados diariamente, pois são mais suaves do que os esfoliantes tradicionais.

Qualquer que seja o tipo de pele e de produto, os gestos são os mesmos: espalhe o creme por todo o corpo, sem esquecer a nuca, o pescoço, as costas e os dedos dos pés, mesmo que seja preciso alguma ginástica para atingir aquelas zonas em que pensamos menos. Enxagúe-se com abundância, pois mesmo os produtos mais suaves podem provocar pequenas irritações se permanecerem sobre a pele.

Evite a água demasiado quente, pois fragiliza a pele. E se tiver coragem termine o duche com um jacto de água fria, que tonifica e reafirma os tecidos. Seque-se cuidadosamente, sem esquecer os pequenos cantos. E sem esfregar, porque a pele húmida é mais delicada.

Celulite: ataque-a já!

 Celulite: ataque-a já!

 

Com a chegada do tempo ameno, aumenta a tentação de desnudar as pernas. Aproveitam-se os raios de sol mais persistentes para as iniciar na odisseia do bronzeado. O pior é quando debaixo das calças ou das meias se esconde uma textura esponjosa, muito inestética - a celulite, o vilão das pernas femininas.

O tempo é de atacar o aspecto casca de laranja, eliminando a gordura que se acumula em cada favo. Mas antes disso convém conhecer melhor a celulite.

 

A celulite é um problema feminino: Certo.

A arquitectura da pele é diferente entre sexos: os glóbulos sebáceos cutâneos são mais grossos nas mulheres do que nos homens, dispondo-se de forma diferente sob a pele. Quando a pele perde elasticidade, a sua superfície denuncia a tal ondulação.

 

A celulite coloca exclusivamente problemas estéticos: Falso.

A celulite pode ser acompanhada por uma sensibilidade dolorosa quando se toca a pele. Além disso, a insuficiência venosa (varizes) agrava a celulite.

 

Pode-se ser magra e ter celulite: Verdadeiro.

Não é necessário ter quilos a mais para que a celulite se desenvolva: mesmo as modelos mais magras podem apresentar pele "casca de laranja". É, no entanto, uma celulite mais superficial, enquanto a gordura associada ao excesso de peso se encontra mais em profundidade.

 

O comportamento alimentar não tem influência na celulite: Falso.

Se nos alimentamos mal, engordamos. E se engordamos a celulite tem mais probabilidade de se desenvolver, até porque uma alimentação deficiente é normalmente rica em açúcares e gorduras.

 

A celulite prefere determinadas partes do corpo: Verdadeiro.

As mulheres apresentam geralmente um excesso de glóbulos sebáceos ao nível das coxas (sobretudo no exterior), das ancas e das nádegas - é a tristemente famosa repartição ginóide da gordura.

 

Para vencer a celulite é preciso fazer dieta: Verdadeiro e falso.

Se temos excesso de peso, um regime de emagrecimento é o complemento ideal para um tratamento anti-celulite. Mas por si só não faz desaparecer a pele "casca de laranja". Se já se é magra, é mesmo de evitar a tentação das dietas, porque não terão qualquer efeito sobre a celulite.

Os cremes adelgaçantes costumam ter efeitos visíveis se o tratamento for mantido pelo menos durante um mês. Para resultados mais rápidos, existem as intervenções cirúrgicas, como a lipoaspiração.

 

Caracóis perfeitos, soltos e saudáveis

Os cabelos encaracolados são uma moldura exótica para um rosto feminino. Porém, nem sempre eles se revelam naturalmente, na medida em que constituem cabelos muito frágeis que necessitam de cuidados especiais para se movimentarem leves e brilhantes. O grau de ondulação varia de pessoa para pessoa, desde as ondas mais largas e espaçadas até aos pequenos caracóis cerrados. Mas em comum uns e outros têm a tendência para espigar e quebrar.

Isto porque as glândulas sebáceas não produzem gordura suficiente para hidratar todas as voltas e viravoltas. Impõe-se então tratar das pontes secas, com a ajuda de uma máscara capilar, que reforça e hidrata os fios.

Outra ameaça para os caracóis é a humidade do ar, uma vez que o cabelo arrisca encaracolar em excesso. Basta verificar como todo o esforço para esticar um longo cabelo vai por água abaixo à menor pinga de humidade. Rapidamente, o encaracolado retoma o seu curso normal.

O que há a fazer para contrariar esta reacção natural dos fios capilares é usar amaciadores que não precisem de ser enxaguados, pois ajudam a reter a humidade e evitam que o cabelo frise.

Ao pentear, e se gosta do seu ondulado, o ideal é aplicar um pouco de gel, que de certa forma encoraja o movimento natural do cabelo.

 

Mãos em riscos

As actividades diárias constituem uma verdadeira ameaça à saúde das nossas mãos. Lavar, limpar, esfregar são tarefas que fazem parte da rotina doméstica mas que fragilizam a pele das mãos, irritando-a ou mesmo causando alergia.

São reacções próprias do chamado eczema das mãos, para o qual não existe tratamento mas que pode ser evitado ou aliviado cumprindo uma regra básica: evitar o contacto com agentes irritantes.

Aqui ficam alguns conselhos:

  • evite o contacto directo com detergentes ou outros produtos de limpeza use sempre luvas impermeáveis nas tarefas doméstica use luvas mesmo quando prepara os alimentos, em particular se forem ácidos (limão, alho, cebola, etc);
  • tire os anéis quando se dedicar a estas tarefas, pois eles retêm os agentes irritantes;
  • se a pele das mãos estiver muito irritada evite mesmo o contacto directo com os produtos de higiene (perfumes, sabonetes, gel de banho, loção para a barba, etc);
  • depois de usar produtos de limpeza, mesmo com luvas, lave as mãos com água morna, assegurando-se de que eliminou todos os resíduos de sabonete, pois este também pode causar uma reacção alérgica;
  • seque bem as mãos, com particular atenção para o intervalo entre os dedos e as unhas.

 

Truques para um pescoço jovem

Suporte do rosto,o pescoço espelha a idade, mas muitas vezes é enganador, com as rugas a acrescentarem mais uns anos do que os que constam no bilhete de identidade.

E isto porque negligenciamos o tratamento da pele do pescoço, esquecendo-nos de o hidratar e de prevenir o envelhecimento. A pele do pescoço é, mesmo que não pareça, muito delicada. De tal forma que não lhe deve ser aplicado sequer o mesmo creme que se usa no rosto.

Existem fórmulas específicas, que lhe fornecem todas as substâncias de que necessita para se manter firme e hidratado. A aplicação também deve ser cuidada: com suavidade, da zona central do pescoço para os lados e para baixo, até à nuca. Sem esquecer a zona do colo, sobretudo no verão, quando está muito exposta ao ar livre. Uma ou duas vezes por semana, deve ser usada uma máscara reafirmante, alternada com uma anti-rugas. Esta é a melhor forma de manter o bom estado da pele, tratando-a em profundidade. À noite, o pescoço também deve ser mimado: limpo, hidratado e tonificado. No final, o resultado será uma aparência jovem.

Fonte: ANF 

O Sol e a Pele

  Sol - O Astro Rei

 

O Sol, a nossa fonte de luz e de vida, é a estrela em torno do qual a Terra se move. Para algumas Civilizações o Sol é mesmo um Deus.

De facto o Sol é essencial, e sem a sua radiação não existiria Vida no nosso Planeta. No entanto a exposição excessiva pode ter efeitos nefastos.

Num adulto saudável, a exposição adequada ao Sol é essencial no processo de fixação de vitamina D no organismo. Esta vitamina é essencial para o crescimento e desenvolvimento da estrutura óssea, daí que crianças, grávidas e lactantes precisem de uma maior quantidade da mesma. Com o envelhecimento a pele vai perdendo a capacidade de sintetizá-la.

O excesso de sol prejudica a saúde da pele. E tratando-se de crianças os cuidados devem ser redobrados.

A excessiva exposição ao sol é de longe a causa principal de lesões da pele, podendo ir de ligeiras insolações ao envelhecimento prematuro, passando pelo aparecimento de melanoma, o mais mortífero dos cancros da pele.

As preocupações com o Sol não devem estar presentes só na praia. Em qualquer atividade que exija momentos de exposição solar a proteção é essencial, sendo indispensável o uso de chapéu e roupas leves e claras e o protector solar.

Cuidado - existem grupos de risco!

  • as pessoas de pele clara e as crianças são mais vulneráveis aos "escaldões", embora não exclusivas;
  • qualquer tipo de pele exposta demasiado tempo ao sol pode sofrer queimaduras que surgem, normalmente, uma a dez horas após excessiva exposição solar;
  • além da exposição direta ao sol, é preciso ter cuidado com os raios refletidos na areia e na água;

Sintomas da insolação

  • pele vermelha, quente e dolorida,
  • comichão na pele, desidratação, febre e arrepios;
  • bolhas na pele e náuseas e, finalmente, a pele fica seca e quebradiça;

Em casos de queimaduras solares, para além de se consultar um médico, devem-se ingerir muitos líquidos e hidratar a pele danificada.

Fototipos - a Cor da Pele

Os tons de pele vão do branco leitoso ao negro escuro, tendo sido classificados seis tipos de pele - fotótipos - que exigem níveis de proteção distintos e suportam tempos diferentes de exposição solar, acarretando mais ou menos risco de desenvolvimento de cancros cutâneos.

Independentemente do tipo de pele, deve-se escolher um factor de proteção solar  - SPF-Solar Protection Factor, no mínimo, de 15*, e que proteja a pele dos raios UVB e UVA.

Muito importante:

  • colocar o protetor solar cerca de uma hora antes da exposição ao sol, para que a pele o absorva convenientemente
  • renovar a colocação do creme depois de mergulhar o corpo na água, mesmo que o produto seja à prova de água!!

*Segundo a Organização Mundial da Saúde, as loções solares com um índice inferior não permitem prevenir o cancro de pele.

 

 

 

Água termal e todas as suas características

O poder das Águas Termais

Uma tradição milenar... que pode trazer na sua mala!

Se viajarmos no tempo constatamos que a ida às termas era uma pratica social com benefícios terapêuticos.

As águas termais são provenientes de fontes naturais e têm origem na água da chuva, que entra no solo, e aí pode permanecer por mais de 40 anos.

Tal como os vinhos, as águas termais variam de região para região, pois refletem a riqueza da composição dos solos.

Fazer tratamentos nas termas ou passar um fim de semana numa estância termal é uma pratica saudável nos tempos que correm, em que os dias são passados a correr, em stress, debaixo do ar condicionado ou no meio da poluição. No entanto não é acessível para muitos de nós.

Como alternativa temos as águas em spray.

Extraídas directamente da fonte, estas águas mantêm todas as suas propriedades anti-inflamatórias e anti-irritantes. Quando aplicadas sobre a pele criam uma espécie de película protetora, que faz com que esta não desidrate ao longo do dia.

Quando pode usar a sua água termal? Em qualquer situação!

No verão, quando a pele está irritada pelo sol, no inverno quando está seca do frio, para quem trabalha o dia todo num escritório com ar condicionado, para quem não consegue fixar a maquilhagem, para quem tem tendência a ficar com a pele demasiado oleosa a meio do dia, antes da maquilhagem para durar mais, depois da maquilhagem para fixar, antes de dormir para hidratar durante a noite, ao acordar para limpar, durante uma viagem de avião para não deixar a pele desidratar, depois de tratamentos de pele para acalmar, depois de queimaduras solares para cicatrizar e até para limpar o rabinho do seu bebé...